Personal Victor

O que são exercícios multiarticulares e monoarticulares?

Saiba um pouco quais são as diferenças entre eles...


Por: Victor Lima

O que são exercícios multiarticulares e monoarticulares?

MULTIARTICULARES

São os exercícios que envolvem mais de uma articulação no movimento, também é capaz de estimular os menores grupos musculares associados ao exercício, essa informação é muito importante na hora de planejar o treino.

Ou seja, o trabalho muscular realizado por exercícios multiarticulares também é capaz de estimular os menores grupos musculares associados ao exercício.

Um exemplo simples: num exercício que vise a hipertrofia do peitoral, como o supino reto, além de trabalhá-lo efetivamente, tanto o deltoide anterior (ombro) quanto o tríceps braquial (braço) serão também estimulados. Na maioria dos exercícios de peito, tríceps e deltoide também vão estar envolvidos. Ou seja, quem faz supinos e puxadas já está ativando, involuntariamente, músculos como deltoides, bíceps e tríceps.

Um grande erro é esquecer essa informação e prescrever exercícios multiarticulares e ainda muito isolados em uma única sessão de treino.

MONOARTICULARES

Como o nome já deixa claro, os exercícios monoarticulares trabalham isoladamente, com o movimento de apenas uma articulação, diferente dos multiarticulares. São exercícios específicos para um grupo muscular e tem trabalho efetivo apenas neste grupo.

Segundo Fleck e Junior (2003), os exercícios monoarticulares são mais simples e tem uma aprendizagem motora mais simples. Assim, eles constituem uma parte fundamental do treino, seja para iniciantes por suas facilidades, seja para avançados devido ao alto grau de isolamento de tensão muscular.

Podemos citar como exemplos de exercícios monoarticulares as roscas (direta, scott e as demais), a flexão plantar, extensão de pernas entre outros.

É lógico que é praticamente impossível conseguirmos trabalhar apenas um músculo isoladamente, mas nos exercícios monoarticulares o foco é um grupo ou músculo isolado, sendo que a maior tensão recaia sobre ele. Estabilizadores e agonistas também participarão do movimento, mas sem uma carga que mereça destaque.

#teamvictorlima

Bons treinos.

Referências:
BARBALHO, MATHEUS et al. Influence of Adding Single-Joint Exercise to a Multijoint Resistance Training Program in Untrained Young Women. J. Strength Cond Res, 2018. Stone MH, Plisk SS, Stone ME, et al. Athletic performance development: volume load—1 set vs. multiple sets, training velocity and training variation. NSCA J. 1998;20:22–31. FLECK, Steven & JÚNIOR, Aylton José Figueira. Riscos e benefícios do treinamento de força em crianças: novas tendências. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde, v.2, n.1, p.69-75, 2003.